Barbeiro de Verdade

-05092013_MG_9085
groo

Lembro quando essa cena de barbearias começou a dar seus primeiros passos aqui em São Paulo há mais ou menos 3 anos. Os homens estavam cansados de irem a salões para cortarem seus cabelos e terem mulheres aos seus lados com tocas, papéis alumínio no cabelo, unhas sendo feitas e tudo o que envolve um salão tradicional. Inclusive essa migração dos homens de volta às origens faz sentido, afinal não precisamos ver as mulheres se “preparando para o show”. Que elas fiquem belas e nós não precisemos saber o que passou ali até chegar no resultado final. Pensando assim me pergunto se salões tradicionais não teriam que ser um ambiente exclusivo para mulheres?!

 

Na época havia a Barbearia 9 de Julho com sua pegada Rockabilly e logo veio a barbearia que primeiro acreditou em um estilo que ainda não tinha sido visto por aqui e em outras cidades do mundo que estavam passando por essa onda. O estereótipo de estabelecimentos desse tipo vinha sempre com um estilo visto em Nova Iorque com suas paredes descascadas em tijolos, chão de ladrilho hidráulico e toda essa cena vintage. A Cavalera foi a primeira que acreditou em um estilo da costa oeste americana, mais especificamente a Califórnia e sua herança mexicana – para quem não sabe, o “Sunshine State” pertencia ao México até 1850.

O responsável por tudo isso chama-se Marinho, Mario Andrade, Marinho 13, Marinho Otra-Vida. Pode chama-lo como bem entender, mas eu o chamo de Marinho.

O conheci há mais de 10 anos assim que cheguei a São Paulo devido à minha proximidade com seus dois irmãos mais novos. As risadas eram sempre verdadeiras e as histórias com bastante bagagem, além de todo o passado com o mundo da música, o punk e os festivais que já havia tocado como o Rock In Rio, como baixista do Pavilhão 9.
Marinho é um cara que já deu muito rolê e tem muitos amigos em Los Angeles e com certeza esse background veio devido à sua relação com a música, as gravações de discos, as tattoos, as gangues e claro, a cena de Low Rider – inclusive ele participa do seriado de mesmo nome na Discovery Chanel aqui do Brasil.

 

 

-05092013_MG_9103
-05092013_MG_9108-Edit
-05092013_MG_9127-Edit

Com a abertura da primeira unidade, dentro da loja da marca Cavalera em plena Oscar Freire nos Jardins, muita gente achou esquisito. Confesso que a ideia de estar cortando o cabelo ou fazendo a barba e ouvir a menina do caixa perguntando ao cliente se ele gostaria de parcelar ou se era crédito ou débito, era estranha.

 

Hoje a coisa cresceu e Marinho, ao lado de Alberto Hiar, o Turco Loco, já têm três unidades de sucesso. A dos Jardins ganhou mais vida e “mais distância” da loja da marca. A Vila Madalena ganhou uma unidade na rua Girassol que conta com bastante luz natural – e hoje tem o Açougue Central de Alex Atala na porta ao lado. Por último mas não por fim, a do Bixiga e a mais querida por Marinho. A barbearia abriga um casarão do início do século na rua Conselheiro Carrão.

 

Todas com o mesmo estilo seguindo as barbearias clássicas da Califórnia e esse jeitão que só ele tem por aqui. Que venham as próximas – e sim, será em breve!

 

Abaixo algumas fotos que fiz de Marinho e das barbearias ao longo desses anos e um vídeo com uma entrevista com o personagem contando o seu passado, a sua correria da vida, família, a relação com o Turco Loco, a paixão pelofício e o futuro da barbearia aqui no Brasil.

 

Vida longa!

 

Fotos: Victor Collor

-16042015_DSF8963

insideinside get

Veja também: